segunda-feira, 21 de junho de 2010

Um vazio e um violão...

Sento-me sozinho no meio do nada para poder pensar. Isolo-me completamente deste mundo. Desta vida, que insiste em me cercar. De tudo. De todos.


Ao pensar, só, no meio do nada, sento-me. Penso sobre tudo. Sobre o divino. Sobre o eterno. Penso sobre tudo o que vem acontecendo em minha vida. Penso sobre meus amigos e sobre a falta que eles fazem; penso sobre minhas escolhas e o quanto parecem constantemente equivocadas; penso sobre o futuro pelo qual decidi lutar e sobre o quanto o odeio;

Sem nada ou ninguém por perto penso sobre meus amores, tanto os mais recentes quanto os que há tempos foram enterrados nas implacáveis areias do esquecimento.

No meio do nada, acompanhado pela solidão – esta doce dama que vem vestida de cetim para prostrar-se ao meu lado, que beija meus lábios sedentos por qualquer coisa que seja próxima de amor ou carinho –, penso no potencial que eu tenho para amar. Observando o esplêndido vazio que há no céu, Penso no potencial que eu tenho para não ser amado.

4 comentários:

Apoena Míope disse...

Cavaleiro,

Muito boa esta postagem!

Grata pelo comentário que fez no Orkut, lá na Escrever!

Abraço

Cavaleiro da Triste Figura disse...

XD
Eu é que agradeço moça...

Iara . Amorinha . Iah . Iaiá . disse...

Adorei o espaço, ótimo blog .. ótimos posts *-*
Estou seguindo x)

Cavaleiro da Triste Figura disse...

XD
Valew...

Postar um comentário